Estar junto a natureza em um grande centro urbano parece estranho. A proposta de reunir o homem e o verde é parte do projeto do edifício Bosco Verticale (Bosque Vertical) do arquiteto Stefano Boers. Localizado no bairro de Porta Nuova, próximo ao centro histórico da cidade de Milão, o projeto consiste em duas torres residenciais, uma de 112 m e outra de 80 metros, grandes troncos que suspendem as diversas plantas.

A irregularidade está também na horizontal, os terraços de diferentes dimensões ora avançam ora recuam. Os vazios dos terraços foram preenchidos com 800 árvores, entre 3 e 9 metros de alturas, 5 espécies de arbustos e outras plantas em 20.000 metros quadrados. A ideia do Boers é que o verde possa se sobressair sobre o edifício. Para isso houve o cuidado com “a profundidade e a extensão das bacias, o tipo de solo, o número, forma e variedade de plantas escolhidas” diz o arquiteto.

Bosco Verticale é até o momento o único edifício de Milão que segue essa proposta, premiado com o International Highrise Award pela inovação de implantar o verde em um ambiente hostil, a cidade. Boers expande sua reflexão do micro para o macro, salientando a importante de verticalizar grandes centros urbanos com equilíbrio, no qual o contrário, a ocupação de mais terra é uma solução mais dispendiosa e e não sustentável.

Referências Bibliográficas

MAGGIORE, Filippo; DEPLANO, Emanuele. Il Bosco Verticale: il primo grattacielo “verde” nella metropoli milanese. Disponível em: <www.genova.erasuperba.it/rubriche/grattacielo-bosco-verticale-milano

>. Acessado em 15 de agosto de 2015.